26 novembro 2005

iluminações natalícias...


Há vários dias que ela está ali e nunca a vi acesa a iluminar o local. A primeira coisa que me veio à cabeça quando a vi foi que alguém substituira uma lâmpada fluorescente ali por perto e não se dera ao trabalho de colocar a fundida no lixo, preferindo abandoná-la, perigosamente, a um canto. As coisas que eu imagino! Sou mesmo maquiavélico!

Mas entretanto comecei a raciocinar procurando fazê-lo com lógica, bom senso e sem preconceitos, afugentando do meu espírito qualquer eflúvio maldoso. E cheguei a uma dedução diferente. Deveras diferente.

Talvez em boa verdade se trate de uma nóvel, e económica, modalidade de iluminação natalícia que consista em espalhar ao acaso lâmpadas presumivelmente fundidas pelos passeios e ter a esperança, e sobretudo a fé, de que um milagre as acenda ao anoitecer, iluminando primorosa e maravilhosamente o nosso Concelho, enchendo o ar de doçura cálida e reconfortante.

Vou ficar à espera do anoitecer e ter muita, muita, muita fé para assistir a esse espectáculo maravilhoso que vai ser aquela lâmpada acender e iluminar a noite fria e aquecer os nossos depauperados corações. Já me parece ouvir ao longe o tilintar dos sinos e o drapejar das asas dos anjos! HOSSANA!

p.s.: valerá a pena falar de toxicidade e de civismo?

fotografia: © josé antónio 2005
local: estacionamento do Pingo Doce de Sassoeiros / escada de acesso à Torre Soleil.
data: 23 NOV 2005, 15:11

(clique na foto para ampliar)

2 comentários:

Isabel Magalhães disse...

Caro José António,

neste país é preciso ter muita, muita, esperança...

Sabe, eu tb vivo indignada com situações como estas e outras do mesmo quilate mas, de vez em quando, ligo o botão de 'stand-by'... 'pela minha saúde'. :)

Este seu blog fazia falta no concelho de Oeiras.

Um []

José António disse...

Olá Isabel.

Se excluirmos de nós mesmos a esperança, sobra-nos o quê?
Ela é fundamental. Não podemos viver sem ela.

Obrigado pelas suas amáveis palavras sobre a utilidade deste blog. Apenas lamento não ter mais tempo para lhe dedicar.

Sobre este post:
Ele é um exemplo de que muitas coisas 'más' não são da responsabilidade directa da Edilidade, mas da atitude IRRESPONSÁVEL dos munícipes!
Tenho tentado mostrá-lo. Que é necessária uma mudança de atitude, uma postura cívica, até para que faça sentido reclamar com os responsáveis camarários. As pessoas têm que se mostrar merecedoras de um ambiente melhor. Não basta exigi-lo. Ele passa por nós.
É importante e necessária a colaboração de todos, independentemente da nossa posição político-partidária em relação à Edilidade. Atitudes inconscientes e irresponsáveis como a que aqui relato não afectam o Executivo, nem o beliscam. Afectam-nos, sim, é a todos nós, que ficamos reduzidos a viver no meio do nosso próprio LIXO!

[]